• Renato Moog

Richard Wright, o Poeta do Pink Floyd.

Atualizado: Mai 23


Richard William Wright (28/07/1943 - 15/09/2008), músico britânico, tecladista e compositor do Pink Floyd, trilhou também carreira solo. O único dos músicos do Pink Floyd nascido em Londres, foi um dos quatro fundadores da banda, juntamente com Mason, Waters e Barrett.

Teve participação muito ativa nas composições até meados da década de 1970, especialmente no álbum "Dark Side of the Moon", trazendo ainda boas colaborações no álbum "Wish You Were Here" (1975), brilhando na música "Shine on You Crazy Diamond", mormente na parte IX. Contribuiu com competência no álbum seguinte, "Animals" (1977), cujos teclados foram gravados com consistência notável, embora, neste último, não tenha trazido idéias substanciais no campo da composição.

Considero Wright extremamente meticuloso em detalhes, muito melodioso e poético. Destaca-se por suas características próprias, e sua música tem personalidade, com solos sempre criativos.

Richard Wright é o poeta do Pink Floyd. Trabalhou com experimentações na música "Sysyphus" (Ummagumma - 1969). Criou climas psicodélicos com estrutura de acordes inspirada no jazz, inserindo melodias tristes e atraentes. Com inspiração na mitologia grega, representa o desespero de Sísifo em cumprir sua condenação eterna: na parte mais lenta da música pode-se vislumbrar a imagem de Sísifo empurrando a rocha para o topo da montanha, com inserção de muitas pausas rápidas (respiração), indicando breves momentos de descanso de Sisifo, seguido da parte mais viva em acordes dissonantes, com a dinâmica mais intensa no volume fortíssimo, ocasião em que se reconhece Sísifo perseguindo a rocha montanha abaixo.

Na mitologia grega, Sísifo, filho do rei Éolo, da Tessália, e Enarete, era considerado o mais astuto de todos os mortais. Foi o fundador e primeiro rei de Éfira, depois chamada Corinto , onde governou por diversos anos. Casou-se com Mérope, filha de Atlas, sendo pai de Glauco e avô de Belerofonte. Mestre da malícia e da felicidade, ele entrou para a tradição como um dos maiores ofensores dos Deuses, pois segundo Higino, ele odiava seu irmão Salmoneu, e perguntando a Apolo como ele poderia matar seu inimigo, o Deus respondeu que ele deveria ter filhos com Tiro, filha de Salmoneu, que o vingariam. Dois filhos nasceram, mas Tiro, descobrindo a profecia, os matou. Sísifo se vingou e, por causa disso, ele recebeu como castigo na terra dos mortos empurrar uma pedra até o lugar mais alto da montanha, de onde ela rola de volta.

Minha interpretação de Sysyphus, parte II, vídeo Raindrops Studio:

A seqüência de notas que deu origem à música "Us and Them" veio de uma gravação chamada "Violent Sequence", criada por Wright como parte da trilha sonora do filme Zabriskie Point, de Michelangelo Antonioni, que acabou a rejeitando por achá-la "bonita, mas muito triste". A música foi guardada até o lançamento de "Dark Side of the Moon". O órgão hammond é repleto de melodias, com uma bela sequência de acordes, e o piano, principalmente no momento do solo de saxofone, é muito bonito e trabalhado, embora na gravação original do álbum "Dark Side of the Moon" tenha ficado em segundo plano.


Uma das minhas músicas prediletas é "Shine on You Crazy Diamond - part IX", isto é, a música que encerra o álbum "Wish You Were Here", com uma melodia extremamente tocante produzida em um sintetizador, muito próximo de um trompete sintetizado, parece-me produzido por um "Prophet 5" (Sequential Circuits). A melodia é profunda e construída sobre uma base harmônica bela o suficiente para convidar o ouvinte à inflexão. É uma música que toca a alma, triste e otimista, leve e profunda, intensa e carregada de carga emocional.

O interlúdio de "Dogs" é puro rock progressivo, com um solo de sintetizador monofônico sobre uma base de pads caracterizada por quaro acordes. Quando esta música é tocada ao vivo, a sensação que tenho, sempre, é de que o rock progressivo se manterá firme em sua posição de difusão da boa música, em que pese inúmeros movimentos contra, principalmente de gravadoras, rádios e movimentos culturais, como por exemplo o "Punk" que surgiu no final da década de 1970.

Minhas interprertações de alguns temas do Wright:



Wright gravou Wet Dream (1978), acompanhado por Mel Collins (sax), Snowy Whithe (guitarra), Larry Steele (baixo) e Reg Isadore (bateria). Nesta época, pós álbum "Animals", o Pink Floyd passava por um processo doloroso de discussões, e Roger Waters estava assumindo cada vez mais o controle total da banda. Este álbum foi lançado antes do início das gravações de "The Wall" (1979). Wright foi afastado do processo de criação e concepção do álbum "The Wall", o que culminou com sua expulsão da banda durante as gravações, embora mais tarde tivesse participado dos shows como músico contratado. Não obstante o controle de Waters, os acontecimentos que culminaram na saída de Wright são envoltos em mistério. David Gilmour mais tarde chegou a declarar em entrevista que precisou tocar muitos dos teclados de The Wall devido a falta de empenho de Rick.

Depois da saída do Pink Floyd, Wright juntou-se com Dave Harris no grupo chamado "Zee" e gravaram "Identity" em 1984.

O retorno de Wright ao Pink Floyd se deu em 1987, nas gravações de "A Momentary Lapse Of Reason". Ele chegou no meio das gravações, ocasião em que não trouxe contribuição relevante para o álbum, mas participou da turnê mundial de promoção do disco.

Em The Division Bell, Wright voltou a participar ativamente do processo criativo, retomando-se a cooperação coletiva que se havia perdido nos anos 70. Wright é co-autor de "Wearing the Inside Out" com Anthony Moore e das músicas "Cluster One", "What Do You Want From Me", "Marooned", e "Keep Talking" com David Gilmour.

Em 1996 Rick Wright lançou seu terceiro álbum, Broken China, gravada no estúdio da sua casa na França. Ele mesmo produziu o disco, junto com Anthony Moore, que também escreveu as letras. Foi mixado por James Guthrie. Participam deste álbum os guitarristas Tim Renwick, Dominic Miller e Steve Bolton, o baterista Manu Katche e o baixista Pino Palladino. Sinead O'Connor canta em duas faixas, "Reaching for the Rail" e também "Breakthrough".

Entrevista concedida a Bruna Lombardi, no programa "Gente de Expressão":

83 visualizações

RETORNAR AO BLOG

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Pinterest

©2014 Renato Moog™ | www.facebook.com/renatomoog | studioraindrops@gmail.com | Produção musical | Sintetizador | Órgão | Piano | Sampler | Sequencer | Midis |Produção de Vídeo | Música para Filmes e Televisão | Música para Marcas e Negócios | Música para Video Games e Desenhos Animados | Blog | Partituras | Raindrops studio™ 2013 |  ID analytcs  |