• Renato Moog

The Division Bell

Atualizado: Mai 26


É o décimo quarto álbum de estúdio.

A Turnê "The Division Bell Tour" ocorreu entre 30 de Março de 1994 e 29 de Outubro de 1994. O álbum "Pulse" (1995) foi gravado durante a turnê, na Europa e nos Estados Unidos, entre Março e Outubro de 1994.

A capa traz duas grandes estátuas conversando entre si e com os rostos voltados um para o outro, como se fossem dois "Moais", estátuas gigantescas de pedra espalhadas pela Ilha de Páscoa, no Chile, construídas por volta de 1200 d.C. a 1500 d.C. pelo povo Rapanui.

Alguns fãs pereceberam incrível sincronismo com o filme “Planeta dos Macacos” (1968), de Franklin J. Schaffner, com pelo menos dez pontos já comprovados. E, para fomentar ainda mais a crença, não bastasse as estátuas da capa do álbum parecerem dois macacos, é bem de ver que no encarte que acompanha o álbum, a página da canção "Keep Talking" traz uma ilustração de seis macacos formando um rosto. E não é só: Stephen Hawkin diz que "makind lived just like animals" ("a humanidade viveu como os animais") na música "Keep Talking", e; no fim do CD, com volume alto, em "High Hopes", poder-se-á ouvir uma conversa por telefone que sincroniza magicamente com o filme, "Is that you, Charlie?" (É você, Charlie?), voz de Steve O'Rourke, empresário do Pink Floyd ao telefone com Charlie, filho de Polly Samson (filho adotivo de Gilmour) - teria sido inserida na música por causa de Charlton Heston, ator no filme?

Para realizar esta sincronia é necessário o álbum (CD) e a versão original do filme "O Planeta dos Macacos" (1968). Inicie o CD depois de aparecer o logotipo da "20th Century Fox", no momento em que o filme começa. A duração desta sincronia é igual ao do álbum (66 minutos e 33 segundos).

Os sincronismos:

  • Os títulos das músicas descrevem o que acontece no filme.

  • "Cluster One" ("Grupo Um")

  • Esta é a introdução para os créditos de abertura. Você vê estrelas brilhando e caindo. Na parte do livreto do CD referente a esta música, há a foto de um observatório de estrelas e planetas.

  • "What Do You Want from Me" ("O Quê Você Quer de Mim?")

  • Esta música começa justamente quando a nave cai na água, e todos os membros da tripulação estão fazendo a mesma pergunta, enquanto eles tentam sair da nave.

  • "Poles Apart" ("Pólos Separados")

  • Começa quando os últimos membros da tripulação pulam para fora da nave, e eles nadam em direção a um novo planeta. Eles são agora pólos separados da Terra. "And that you'd never loose that light in your eyes" ("E que você nunca perderia aquele brilho em seus olhos") é cantado no exato momento em que o brilho do sol atinge a câmera.

  • "Marooned" ("Abandonado")

  • Eles estão agora abandonados em um planeta deserto. Exatamente como a foto no livreto do CD.

  • "A Great Day for Freedom" ("Um Grande Dia para a Liberdade")

  • É nesta parte do filme que eles descobrem vida no planeta. Eles encontram uma planta parecida com uma flor e árvores perto de uma cachoeira.

  • "Wearing the Inside Out" ("Vestindo ao Avesso")

  • Nesta parte eles estão nadando nus na cachoeira. Eles estão vestindo ao avesso.

  • "Take It Back" ("Pegue de Volta")

  • Aqui os macacos os levam de volta ao campo.

  • "Coming Back to Life" ("Voltando à Vida")

  • Nesta parte o personagem de Charlton Heston volta à vida depois de levar um tiro na garganta.

  • "Keep Talking" ("Continue Falando")

  • Nesta parte do filme Heston comunica-se através da escrita. Suas palavras não saem corretamente porque ele levou um tiro na garganta. "Why won't you talk to me?" ("Por que você não fala comigo?") Porque ele não pode falar.

  • "Lost for Words" ("Perdido em Palavras")

  • Heston está amordaçado. Ele então luta para escapar de lá. A foto no livreto do CD mostra luvas de boxe.

  • "High Hopes" (Grandes Esperanças)

  • "The ringing of the division bell has begun" (O badalar do sino da divisão começou) Heston está em julgamento enquanto você ouve o sino tocar no fim. Bem no fim do CD, se você aumentar bastante o volume, você ouvirá "Is that you, Charlie?" (É você, Charlie?) enquanto os macacos estão olhando para Charlton (Charlie) Heston. A foto no livreto do CD para a música "High Hopes" é a mesma da página 139 do livre "Mind Over Matter", na qual você pode ver uma cara de macaco na capa preta, mas não no livreto do CD. O Enigma de Publius atacou novamente.

"The Division Bell" (1994) é um álbum conceitual. O “sino da divisão”, nome do álbum, era um aparato do parlamento inglês que convoca o debate na Casa dos Comuns. O sino era uma forma de chamar os parlamentares para a interação, a troca de ideias, de informação. É um processo de comunicação, e é sobre isso que discorre todas as letras. As canções foram escritas principalmente por David Gilmour e Richard Wright, com letras de Polly Samsom em quase todas.

O álbum foi gravado em vários estúdios entre 1993 e 1994, incluindo o Britannia Row Studios e o barco-estúdio de David Gilmour, Astoria. A equipe de produção escolheu o produtor Bob Ezrin, que já tinha trabalhado com a banda em "The Wall" (1979) e "A Momentary Lapse Of Reason" (1987), bem como o engenheiro Andy Jackson e o saxofonista Dick Parry. Wright contribui como vocalista principal em um trabalho do Pink Floyd pela primeira vez desde "Dark Side of the Moon" (1972), na música "Wearing the Inside Out".

A música "Keep Tatlking" é uma das pérolas deste álbum, e conta em vários trechos com a voz gravada de Stephen Hawking, físico britânico mundialmente famoso. Conta-se que Gilmour ouviu a voz de Hawking em um comercial da British Telecom, comprou seus direitos e decidiu utilizá-la na música. Foi lançada como o primeiro single de Division Bell, em março de 1994. Também é o lado B do single "High Hopes", e foi regravada no álbum "P.U.L.S.E." (1994). Foi escrita por Gilmour e Wright, com letra de Samson. Alcançou o primeiro lugar na Mainstream Rock Tracks, em 1994.

"What Do You Want from Me?", "Poles Apart" e "High Hopes" são músicas muito boas. As três garantem ao disco boa qualidade, juntamente com "Keep Talking", "Take It Back" e "Wearing the Inside Out". Curiosamente, destas seis composições, apenas a última não tem letras de Polly Samson. Polly Samson não era de forma alguma musicista, tampouco tinha conhecimentos de música ou composição. Era jornalista e escritora, e também lidava bem com as palavras. Na época em que as canções estavam sendo compostas, ela era a namorada a quem Gilmour levava suas letras. Ele conta que, a princípio, ela tentava não interferir muito, mas paulatinamente começou a ficar mais e mais envolvida no processo. E boa parte das situações retratadas nas músicas tem a ver com a relação de Gilmour e Polly.

Em “Marooned”, Gilmour usou o pedal Digitech Whammy para alcançar as oitavas. Ele usou os recursos do pedal com naturalidade. A faixa é quase toda improviso de Gilmour.

Na música “Take it back”, Gilmour gravou com um violão Gibson J-200 usando um e-bow e uma pedaleira Zoom. O som proporcionado por essa combinação foi gravado em estúdio e depois transformado em sample. O que ouvimos na faixa é o sample em looping. O mesmo sample foi usado também em “Keep talking”. É este detalhe que proporciona a textura tridimensional da faixa.

O blues que sempre esteve presente nas composições da banda foi representado em “What do you want from me”.

A música "High Hopes" é uma das mais belas deste disco. A beleza do arranjo é impressionante, com piano, vozes, letra, orquestração, e, principalmente o solo de slide guitar do final, e tudo parece ter sido milimetricamente produzido como se a música já tivesse vida própria desde sempre. Foi a primeira faixa a ser escrita, mas a última a ser gravada para o álbum. Sua letra remete às coisas que se ganha e perde na vida, e foi escrita a partir de um ângulo autobiográfico de Gilmour, que já havia mencionado que a canção é mais sobre seus primeiros dias como músico, quando deixou para trás sua cidade natal. Douglas Adams, um amigo de Gilmour, escolheu o título do álbum a partir de um verso na música, e foi, através de um de seus versos, a escolha do título do álbum The Endless River.

"The grass was greener
The light was brighter
The taste was sweeter
The nights of wonder
With friends surrounded
The dawn mist glowing
The water flowing
The endless river
Forever and ever"

Músicas que apareceram nos repertórios da turnê "Division Bell Tour":

  • "Astronomy Domine"

  • "Learning to Fly"

  • "What Do You Want from Me?"

  • "On the Turning Away"

  • "Sorrow"

  • "Take It Back"

  • "Keep Talking"

  • "One of These Days"

  • "Shine On You Crazy Diamond" (Parts 1-5 & 7)

  • "Speak to Me"

  • "Breathe"

  • "Time"

  • "High Hopes"

  • "Wish You Were Here"

  • "Another Brick in the Wall (Part 2)"

  • "The Great Gig in the Sky"

  • "Us and Them"

  • "Money"

  • "Comfortably Numb"

  • "Hey You"

  • "Run Like Hell"

Muitos dizem que é um disco solo de Gilmour, que pouco teria a ver com o restante da banda, ou, ainda, que é um disco muito new age. Outros adoram, justificando que a personalidade diferenciada do álbum é coerente com a própria história da banda, que nunca teve receio de mudar de rumo. De minha parte, considero um álbum excelente.


1 visualização

RETORNAR AO BLOG

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Pinterest

©2014 Renato Moog™ | www.facebook.com/renatomoog | studioraindrops@gmail.com | Produção musical | Sintetizador | Órgão | Piano | Sampler | Sequencer | Midis |Produção de Vídeo | Música para Filmes e Televisão | Música para Marcas e Negócios | Música para Video Games e Desenhos Animados | Blog | Partituras | Raindrops studio™ 2013 |  ID analytcs  |